Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009
Silêncio quebrado

 

Se todo o silêncio se quebrar

em pedaços miudos

indefinidos

incapazes de retomarem a forma

anterior...

 

É porque terá morrido um poeta

num lugar inóspito da Via Láctea,

à beira dum precipicio de sonhos

incontroláveis,

ao rés da maré cheia dum mar

sem nome,

no cume duma montanha

amante da lua nova,

num canto solitário e estridente,

onde as palavras sonoras

se espraiavam por si mesmas

em danças de rimas que não eram,

enquanto a noite inundava

as casas espantando o sono

de todos os loucos!

 

Morto o Poeta,

Viva o Poeta!

 

Que todas as palavras poema

são dignas das condolências

do silêncio quebrado!

 

by Paulo César, em 17Dez.2009, pelas 21h15

 


Palavras chave: , , ,

publicado por Paulo César às 21:21
link do post | Adicionar às escolhas

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

A morte verdadeira

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds