Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No Chão d'Água...

Ah, quem escreverá a história do que poderia ter sido? (Álvaro de Campos)

No Chão d'Água...

Ah, quem escreverá a história do que poderia ter sido? (Álvaro de Campos)

16.10.06

Hoje o tempo pesa mais...


 

Hoje o tempo pesa mais...



Magma de coisa nenhuma,
Denso de memórias e saudade.
Prenhe da vida que foi,
Escorre nos fiapos do cabelo,
Cãs albinas
Que a maresia matinal atira
Contra a muralha 
No abandono da solidão,
Quando os olhos turvos agigantam
Uma lágrima teimosa
Que cava nas faces macilentas
Um carreiro de terra poeirenta
À beira dum canavial,
Que bordeja um ribeiro manso
E se perde no chão ávido
Da água que o estio sugou!



No pesado tempo de sonhar
Anda a memória à deriva
E o porto de abrigo fica
Entre os pontos cardeais
Dum azimute que só os filhos
Traçam!

by Paulo César, em 14.Out.2006, pelas 18h30
05.10.06

Para ti... Para sempre!


 

 
 

Que o céu seja o limite do teu sonho
E jamais deixes de sonhar...
Que nos teus olhos brilhe sempre a luz do amor
E jamais deixes de brincar...
Que no coração ponhas papoilas e chilreios
E jamais deixes d'amar...
Que nas mãos plantes o vento e a maresia
E jamais deixes de abraçar...
Que teus lábios saibam sempre agradecer
E jamais deixes de cantar...
Que, onde te levarem teus pés, a terra exulte,
Em flores e frutos e odores e chuva e luar...

Que saibas ser sempre criança,
Mesmo quando o tempo já não perdoa
E, no lugar da angústia, ponhas esperança
Com que possas inundar outra pessoa....



Não te deixes sucumbir ante a amargura!
Livre interroga, veemente avança!
Sê ainda e sempre, grande na ternura,
O enlevo de teus pais, doce...
Criança!
 
A todas as crianças do mundo por ocasião do Dia Mundial da Criança (01.Junho.2006)
  
by Paulo César, em Maio.2006