Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

No Chão d'Água...

Ah, quem escreverá a história do que poderia ter sido? (Álvaro de Campos)

No Chão d'Água...

Ah, quem escreverá a história do que poderia ter sido? (Álvaro de Campos)

13.03.07

Por acaso





Por um acaso fui longe
no louco sonho do amor
Por acaso dum acaso
inventei a própria dor

Por acaso descobri
que sendo eu este que sou
só por acaso vivi
o que a memória guardou

Foram por acaso cartas
mil telefonemas, viagens,
mil outros sonhos sonhados
muitas esperas, miragens

Do acaso fiz parceiro
a quem tudo confiei
entreguei-me verdadeiro
do que restou já não sei

Só por acaso aqui estou
a escrever... e por acaso
do que fui e já não sou
não cheguei a fazer caso

Vivo dos sonhos pequenos
que engrandeceram meu sonho
e me tornaram ao menos
inteiro no que componho

O acaso não vem ao caso,
mas por acaso ou não
não é só obra do acaso
as palavras, o refrão.

Meu canto feito poesia
construo-o eu por acaso
dando mais em cada dia
apesar da idade ou prazo.

by Paulo César, em 13.Mar.2007, pelas 23h00

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.