Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2016
O NATAL POSSÍVEL

AbraçArvore.jpg

Não estavas, mas estiveste!

Não falaste, nem riste, mas senti-te!

O teu lugar ficou vazio

e o teu prato não foi tocado sequer,

mas o eco das tuas gargalhadas

encheu aquele lugar do chão ao tecto

e tudo o que não dissemos

eu recordei,

quando o ruído das vozes maquilhou de sorrisos

aquele espaço sem tempo.

 

Não foi nada mais do que saudade!

Não foi senão um desejo profundo

de te saber ali,

ainda que nada o fizesse notar.

 

Não choremos agora, que a vida tem outra intensidade

e outra luz e mais fulgor a eternidade!

Quem permanece no coração

faz acontecer Natal todos os dias,

ainda que os dias sejam de distância e solidão!

 

Inclino-me e sinto-me feliz!

Nada te afasta, quando tu permaneces!

 

Em 25.Dez.2015

PC



publicado por Paulo César às 09:00
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds