Sábado, 12 de Agosto de 2006
Inquietação

Onde estais?
Chamo-vos e não oiço resposta,
Mas sinto os vossos passos que vão,
Que fogem...



Onde estais?
Há tanto por fazer,
Tanta gente a esperar um sorriso,
A desejar um abraço,
A pedir uma palavra
De carinho...

Há tantos olhos rasos de lágrimas
E de angústia,
Tantos braços prenhes de medo,
Embrenhados em solidão,
Tantos corações quase mortos
Pelo cansaço do abandono,
Pela distância da marginalidade.



Caiem noites sobre noites,
Erguem-se dias sobre dias
E, quando vos chamo,
Apenas ressoa o eco do meu grito.

Inquieto repito,
Sem cessar, aflito:
- Onde estais?


by Paulo César, em ??/??/2005


publicado por Paulo César às 02:43
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

A morte verdadeira

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds