Sábado, 18 de Agosto de 2012
Auto-dissecação


 

Não há gritos nem silêncios

Suspensos dos meus olhos de acreditar

Há palavras maduras que se esgotam

Pingo a pingo

Na paulatina espera das auroras futuras

Quais caixas de Pandora que se abrirão ao amanhecer

De um qualquer dia sem história

Para recriar, no cadinho das memórias que guardo,

O tempo e o espaço que me constitui.

 

As pedras e o barro de que sou feito,

Numa estrutura de artesão que se auto modelou

São a argamassa dos sonhos que confluem

Para me incendiar de vontades e desejos

Que o vento sopra e leva para longe.

 

Quem nunca sentiu a textura do barro

Nem se auto erigiu a partir das catacumbas,

Não reconhece as imagens ambivalentes que circundam

A minha alma e lhe dão cor e perfume.

 

Eu sou aquele que nunca foi

Maremoto ou calmaria.

Sou tão somente a irracional razão que me domina

E me arremessa contra as barreiras e os impossíveis

Em busca dos abismos onde ressoam as melodias

Que aromatizam de ternuras e gratidão

As montanhas do meu desassossego!

 

Situo-me entre o jamais e o nunca

Nas terras do desafio impossível!

Vinde os que acreditam!

Que aos cépticos eu saberei perdoar!

 

 

Em 15.abr.2012, pelas 15h00

PC



publicado por Paulo César às 23:17
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

A morte verdadeira

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds