Domingo, 11 de Setembro de 2011
Querendo eu posso ir além... (Sextina 001)

Imagem/fonte: Google - Formatação: PC

 

 

Querendo, eu posso ir além

Das palavras e dos gestos sem raiz

Para erguer, entre o espaço, a madrugada

E erigir, entre os sorrisos, a esperança

Dos anónimos que, vão peregrinando,

Para obter misericórdia e paz infinda.

 

A crueza crescente torna infinda

A caminhada daqueles que vão além

E em desespero se dão, peregrinando,

Sem descobrir compreensão, cuja raiz,

É a garra que sustém toda a esperança

Que os leva, quase voando, à madrugada.

 

E, mesmo quando a noite cai, a madrugada

É que os impele a obter a luz infinda

Que trás no bojo o rumo da esperança

Com que escalam montanhas e, mais além,

Subindo e descendo, descobrem a raiz

Da força que faz que vivam peregrinando.

 

Podem vir os medos… Seguem peregrinando!

O alvor da aurora anuncia a madrugada!

E as sombras nascem das copas, cuja raiz

Sustenta o tronco e a ousadia, quase infinda,

Reganhando a batalha, fá-los ir muito além

Em busca do sonho, encharcados de esperança.

 

Nada é impossível! Uma réstia de esperança

É quanto basta a quem segue peregrinando!

Quedar-se não é resposta… Ir sempre mais além

É um chamamento que desperta na madrugada

E o querer é um poder, uma força infinda,

A germinar do profundo de cada um, como raiz.

 

À margem, nas bermas, lançando a raiz,

Semeiam o alvor de novos dias, a esperança,

Que desperta do adormecimento e assim, infinda,

Realiza a eternidade a quem, peregrinando,

Descobre o sol da vida em cada madrugada

E em cada estrela cadente vê a luz do além!

 

Ah desafio do além, onde suporto minha raiz!

Alcançarei uma nova madrugada de fé e de esperança

Ou seguirei só, peregrinando, na noite infinda?

 

 

Em 28.Ago.2011, pelas 09h00

PC


Palavras chave: , , ,

publicado por Paulo César às 22:41
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds