Sábado, 1 de Maio de 2010
Navegar ainda

 

Navego à descoberta

do labirinto

na cratera do sonho

e cada pedra traz o espanto

e a vontade

de ir mais adiante

até aos confins da realidade

 

palavras e ecos

unem-se no mural da ousadia

a desenhar o perfil

dos caminhos e a estrada

dos ventos

que entroncam na memória

 

vagas e estrelas

enxameiam o meu espaço

transformando a terra em mar

e o céu em desafio

ainda que o olhar esmoreça

e a esperança quebre

 

os algozes das trevas

não morreram na derrota

dos dias e do tempo novo

nem os vampiros

se redimiram da sede

do sangue

 

das almas eremitas

ou dos caminheiros solitários

que velam as madrugadas

na sonoridade dos versos

e na singularidade lucida

das ideias-palavras-sonho

 

navegar ainda

navegar apesar de tudo

navegar até que os braços

dos rios se afundem

no mar largo

da vitória ansiada

 

by Paulo César, em 01.Mai.2010, pelas 16h00



publicado por Paulo César às 16:04
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds