Sexta-feira, 16 de Abril de 2010
primeiro amor

 

ao sorriso junto

os teus olhos claros

e uma nuvem suspensa no azul

a jogar com o sol

envergonhado

ao esconde-esconde.

 

depois tomo-te a mão

e carregados dum sonho

sem mácula

seguimos rumo ao paraíso

nas asas rebeldes

duma andorinha negra

 

acendemos a fogueira

da paixão

junto aos plátanos

da beira rio

murmurando palavras

doces e comuns

 

fazemos caminhos novos

pelas rua velhas

onde plantamos beijos

e guardamos os segredos

mais secretos

sob as arcadas dos prédios

onde nos abrigamos do calor

ou da chuva

 

com os olhos nos olhos

dizemos adeus

implorando um minuto mais

um outro beijo

ou uma palavra gasta

de tão repetida

 

e mesmo quando ficamos em silêncio

o grito agrilhoado que se ergue

na convulsão da saudade

anunciada

é aquele ridiculo

AMO-TE

 

que nenhum dicionário tem

palavras novas

que possam querer dizer

amo-te.

 

by Paulo César, em 15.Abr.2010, pelas 22h00


sinto-me: saudoso
Palavras chave: , , , ,

publicado por Paulo César às 21:52
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds