Sábado, 28 de Novembro de 2009
Emoções

 

Cruzo as pernas,

os braços,

a estrada,

o olhar...

 

Sonolento,

no espasmo da indiferença,

rasgo o horizonte

nas asas enérgicas

duma gaivota de fingir,

sonhando a vertigem

e a liberdade.

 

Espanta-me a gravidez

e a flor,

o fio de água febril

e o zumbido da abelha,

o contundente ruido do silêncio

e a maciez cortante

do olhar de um puto.

 

Revigora-me uma nota solta

em sol maior,

um adágio, uma sonata,

um sorriso,

ou a sílaba final dum hino

que uma trombeta dissonante

aconchega numa última

colcheia,

colorindo o ambiente

com o sabor dos frutos

e o odor salgado do mar,

até alagar a alma

da quietude dos nababos.

 

Orvalho e madrugada

dã-se as mãos

no refúgio secreto dos deuses...

De mim sei apenas

a emoção!

 

by Paulo César, em 27.Nov.2009, pelas 20h00

 


sinto-me: palpitante e vivo
Palavras chave: ,

publicado por Paulo César às 09:20
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds