Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009
Para ti, Mãe

 

Vergo-me ao poder do teu olhar

límpido, cristalino,
do teu sorriso cintilante,
infantil, doce,
das tuas mãos de desenhar
caravelas sem rumo,
rumo a destinos virgens,
com a força redonda
do teu abraço puro,
quente, de ancoradouro.


Esqueço-me das horas
à beira da falésia
do teu promontório
de afagos,
no aconchego dos segredos
que me confias
para que eu te possua
na inóspita distância
dos dias que vierem.


Na imensidão dos momentos
fugazes que me ofereces

esqueço-me até de respirar

e desconfio mesmo

que o coração deixa de bombear

o sangue que me mantém vivo

para me dedicar só e apenas

ao encantamento
de estar contigo.


Quando for e onde quer que vá

tu irás comigo
na saudade e na memória
gravada a fogo
na pele que tocaste,
na mão que me estendeste,

no beijo que selou o nosso adeus,

mas, mais do que tudo e definitivamente,

no brilho radioso
que explode do teu olhar

como girândolo de foguetes

em dia de romaria.


Lembrar-me-ei para a eternidade

do teu sorriso imaculado
e saberei, ao lembrá-lo,
que as portas do paraíso
estarão sempre abertas
no fim de todas as veredas
onde a tua sombra calada
se projectou
desenhando um futuro

de tanto amor e maior perdão.


E porque calar doi
deixa que te diga, agora,

no mais silencioso dos silêncios,

sem usar palavras escusadas

ou desnecessárias ou incapazes

de definir o que quero dizer

que, de todas as mulheres mães,

só tu poderias ser
minha

mãe!


E nem eu sei explicar porquê,

mas é assim que o sinto

e assim quero que o saibas!

 

by Paulo César, em 04/09/09, pelas 20h45


sinto-me: grato e feliz
Palavras chave: , , , ,

publicado por Paulo César às 21:23
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

1 comentário:
De natalia.nuno@sapo.pt a 15 de Setembro de 2009 às 21:15
Olha Paulo este é divino.
Quem me dera saber escrevê-lo assim
porque sentir eu sinto-o podes crer!

Em ti as palavras são flores que não secam
São tuas palavras a Primavera a chegar
Contigo são belas, elas são afagos
Há sempre pássaros e rios a cantar.

Um beijo amigo
rosafogo


Comentar post

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds