Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009
Almofada de palavras

 
Desnudo-me das palavras
breves
e incorporo a essência
das sonoras,
pesadas,
longas,
sorvendo a musicalidade
e o timbre
das suas reentrâncias,
como baías azuis
sob o firmamento
pardo.


Toco-lhes,
sorvo-as,
acaricio-as
e como malabarista
de sonhos
desenho a realidade
que sou
na crueza alvar
das folhas planas.


Espelho-me...

Escancaro portas e postigos...

Dou-me sem regatear
e vibro na emoção
de saber-te perto,
quando o abraço prende,
encadeando hipnoticamente,
o nosso olhar!


Depois deixo que o tempo esqueça

e faço das palavras por dizer

a almofada onde encosto a cabeça

até adormecer!

 

by Paulo César, em 04.Set.2009, pelas 11h30

 


sinto-me: calmo
Palavras chave: , ,

publicado por Paulo César às 20:13
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds