Quarta-feira, 29 de Julho de 2009
No teu colo

No teu colo, 

Baía de serenidade, 

Anestesio a alma 

E embalo o sonho 

Que me leva às terras 

Do amanhecer 

Onde as fragrâncias têm nomes 

Fartos e belos 

Como o campo lavrado 

Dos teus cabelos.

 

Adormeço sobre o manto

Suave do teu olhar 

E quando acordo 

O sol espraia-se 

Como o teu corpo no meu 

Quando os beijos sabem 

A nu 

E a pele se constrange 

Na premência do toque.

E como sempre, o meu corpo

é a extensão do teu

na fusão da loucura

que incendeia a vertigem

do tempo e do desejo.


 

by Paulo César, em 24.Abr.2008, pelas 14h50

 


Palavras chave: , , ,

publicado por Paulo César às 10:55
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

1 comentário:
De rosafogo a 2 de Agosto de 2009 às 23:45
Belo!

Fez-me lembrar outra amiga de tempo agreste,
não há dúvida, para mim das leituras que faço por aí, são únicos na qualidade.Ninguém mais os iguala,

Para além de meus amigos queridos, são os dois que eu mais gosto de ler.

Deixo-te o meu abraço,
natalia


Comentar post

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

A morte verdadeira

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds