Quinta-feira, 11 de Junho de 2009
Amo-te, porque sim...

 

Busquei nos alfarrabistas
A síntese da fórmula,
Em livros sem idade…
 
Em sociedades secretas
Pesquisei mantras e códigos
Vetustos…
 
A bruxas e magos
Perguntei sobre rezas e esconjuros
Estranhos…
 
Descodifiquei palavras simples
E textos complexos,
Em tomos de mestres…
 
E rendido ao espanto
Que me torna escravo deste bem-querer,
Simplesmente conclui:
 
- Amo-te, porque sim…
 
Em 11.Junho.2009, pelas 09h45

sinto-me:

publicado por Paulo César às 11:10
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds