Domingo, 7 de Junho de 2009
Urdidura de palavras

 

Vagos passos me levam
De volta
Ao dealbar da aurora!
Outrora
Foi o tempo que ganhou lastro
Entre partir e voltar.
 
Hercúlea é a jornada
E de longe em longe
Meço a altura do sol
Na perpendicular do meio-dia
E calculo a bissectriz da saudade
No trilho seguro da memória.
 
Uno as pontas soltas,
Dispersas, quase perdidas,
E refaço o novelo das palavras
E dos gestos ausentes,
A recuperar imagens a três dimensões,
Com sons e odores que foram
Sujeito, predicado e complemento
Directo
Dum ambiente concreto.
 
E, sabendo que não consigo,
Teimo atingir o âmago da questão,
Porque só assim sei ser
Quem demonstro ser,
Sendo simplesmente.
 
 
by Paulo César, em 28.Jul.2008, pelas 23h45

Palavras chave: , ,

publicado por Paulo César às 15:34
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

A morte verdadeira

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds