Domingo, 4 de Fevereiro de 2007
Quase sonho...


Esta noite ouvi o teu corpo
Respirar
Devagar!

Nos lábios sedentos
Nasceu, à flor da água,
Um nenúfar de folhas viçosas
Com uma corola no centro...
Batia um coração no teu olhar,
Cálido e fulminante,
A marcar o ritmo do tempo e o espaço,
Na sincopada cadência
Do desejo e da saudade.

Amei-te nos lençois
Lavados da sofreguidão
E adormecemos nos braços
Do cansaço
Com sonhos coloridos
A crescer no aconchego
Dos nossos corpos unidos!



Esta noite ouvi o teu corpo
E ganhei asas!
Asas de espanto
No delírio do espasmo,
Quando o coração parece
Saltar do tórax
E ir sem destino
Gritar a quem passa:

AMO-TE!


by Paulo César, em 01.Dez.2005, pelas 04h50 (T.Towers)

Palavras chave: , ,

publicado por Paulo César às 15:34
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds