Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2007
Maria...

Só sei o teu nome...
Teu nome, mais nada!
E um breve relance de ti
Numa página branca
Virtual
Dizendo-me coisas enormes
Com uma cadência sincopada
De amiga
Que surgiu da globalização
E da sensibilidade.

Mas não conhecer-te,
Maria,
É já conhecer,
Porque ambos conhecemos Sérgio,
Zeca, Zé Mário e de certeza
Abril e Maio,
E foi tão bonita a festa pá...



E neste pedaço de chão,
Poema à beira mar plantado,
Cidade a ponto luz bordada,
Somos mais, muito mais,
LES UNS ET LES AUTRES,
Mon inconu ami!


sinto-me: very well
Palavras chave: , ,

publicado por Paulo César às 21:16
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds