Sábado, 13 de Janeiro de 2007
Não sei amar-te
Não sei amar-te depois do amor...



Prosto-me no silêncio e deambulo
pelo prazer de sentir prazer,
de sentir o corpo exausto,
arfante,
distendido,
saciado,
e vogo como grânulo de pólen
que se liberta e vai
sem destino
em busco do lugar certo
da fertilização.



Não sei amar-te depois do amor...
Sei apenas ficar a teu lado
para voltar a amar
noutra noite, noutro dia, noutro lugar,
quando os nossos corpos pedirem tréguas
e as nossas líbidos exigirem
sexo!

by Paulo César, em 12.Jan.2006

sinto-me: good
Palavras chave: ,

publicado por Paulo César às 19:41
link do post | comentar | Adicionar às escolhas
|

2 comentários:
De Julia e Raphael a 13 de Janeiro de 2007 às 23:21
Muito bem escrito! Parabéns. Sucesso em 2007. Abraço! Julia.


De Paulo César a 13 de Janeiro de 2007 às 23:27
Thanks. Happy new year to you.


Comentar post

Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre mim
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

O NATAL POSSÍVEL

N A D A

A melhor maneira de amar,...

Amor platónico

Do alto da minha janela

Só por amor

As minhas asas

Alter ego

Talvez...

Auto-dissecação

Arquivos
Palavras chave

25 abril(3)

alegria(5)

amizade(4)

amor(32)

Análise(3)

angustia(3)

asas(5)

busca(14)

desejo(5)

dor(4)

esperança(9)

eu(5)

futuro(6)

gratidão(10)

grito(5)

homem(4)

interrogação(4)

introspecção(8)

liberdade(11)

luta(3)

luz(4)

memória(7)

morte(5)

murmúrio(6)

natal(3)

natureza(4)

olhar(3)

paixão(7)

palavras(10)

passado(3)

paz(4)

poema(5)

poemas(35)

poesia(148)

saudade(17)

sentimentos(3)

silêncio(10)

sonho(21)

terra(4)

vida(5)

todas as tags

Ligações
Participar

Participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds